Com recorde de renda, Náutico vence amistoso em reencontro com os Aflitos

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Foram mais de quatro anos em silêncio. O vermelho das arquibancadas estava desbotando. As cadeiras, empoeiradas. A bola não rolava mais no gramado centenário. O estádio do Náutico virara apenas uma lembrança. Distante de quem mais o tratava com carinho, a torcida. Mas é difícil manter-se separado quando há um sentimento tão grande envolvido. Neste domingo, enfim, ele renasceu. Voltou a ser a casa de todos os alvirrubros. Uma festa que começou nas primeiras horas da manhã e foi finalizada com o amistoso diante do Newell’s Old Boys/ARG. Em campo, o Timbu ganhou por 1×0, mas o resultado da partida ficou em segundo plano. O grande protagonista foi Eládio de Barros Carvalho. Seja bem-vindo de volta, Aflitos.

Com um time repleto de atletas formados base – sete ao todo –, o técnico Márcio Goiano utilizou o amistoso para observar o rendimento da equipe após quase um mês de treinamentos. Da base titular, os remanescentes eram Assis, Camutanga, Josa e Wallace Pernambucano. Esse último, inclusive, foi o autor da arrancada pela direita que terminou com o cruzamento na medida para Tiago, de 17 anos, abrir o placar. O primeiro gol do “novo Aflitos”.

No segundo tempo, o Timbu perdeu fôlego e sofreu pressão do Newell’s. Por duas vezes os argentinos tiveram a chance de empatar o duelo, parando em boas defesas do goleiro Bruno, além de uma cabeça no fim que tirou tinta da trave. Um detalhe curioso: ambos os clubes voltaram de uniformes diferentes após o intervalo. O Alvirrubro trocou a camisa listrada vermelha pelo padrão todo branco, enquanto o Newell’s fez o oposto, sacando o branco pelo tradicional vermelho e preto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para atletas e comissão técnica, o jogo serviu para testar o modelo tático que Goiano pretende implantar em 2019 e enxergar quais peças podem se encaixar melhor no perfil do time que iniciará em janeiro a Copa do Nordeste e o Campeonato Pernambucano. Detalhes que, honestamente, o torcedor do Náutico só deve se preocupar a partir da segunda. Tática e técnica podem esperar. No apito final, o torcedor alvirrubro voltou a comemorar uma vitória nos Aflitos. O resultado também garantiu ao clube o “Troféu Gena”, título criado em homenagem ao ex-ídolo alvirrubro que faleceu em novembro.

Bilheteria

Com R$ 1.576, 200 de renda, o Náutico bateu o recorde de bilheteria de Pernambuco.

FICHA DE JOGO

Náutico

Bruno (Luiz Carlos); Joazi (Hereda), Camutanga, Diego e Assis; Josa, Rhaldney e Lucas Paraíba (Rafael Assis); Luis Filipe (Allan Patrick), Tiago e Wallace Pernambucano (Tharcysio). Técnico: Márcio Goiano

Newell’s Old Boys

Brian Bustos; Francisco Manetti, Lucio Bagalá, Diego Gonzalez e Juan Dedouret; Juan Manuel Requena, Julian Marcioni, Mauro Veja e Nahvel Cisneros; Cisandro Cabrera e Francisco Gonzalez. Técnico: Hector Bidoglio

Local: Aflitos (Recife/PE)
Árbitro: Péricles Bassols. Assistentes: Clóvis Amaral e Bruno Vieira
Gols: Tiago (aos 4 do 1ºT)
Público: 17.357
Renda: R$ 1.576, 200

Folhape

Comentários

PUBLICIDADE