16 de julho de 2019

Renan Vasconcelos

2338 POSTS 2 COMENTÁRIOS

Vai falar menos: Presidente extrai dente

VEJA O presidente Jair Bolsonaro extraiu um dente na tarde desta sexta-feira, 12. O procedimento foi feito no departamento médico do Palácio do Planalto. Em seguida, ele foi para o Palácio da Alvorada, onde cumprimentou e tirou fotos com simpatizantes. “Após extrair um dente voltei mais cedo para o Alvorada. Bom final de semana a todos”, escreveu no Facebook. A recomendação é que o presidente passe os próximos três dias sem falar muito. Ele cancelou a agenda que teria em Florianópolis (SC) para a entrega de ônibus escolares, que ocorreria na próxima segunda, 15, no Hangar da Base Aérea da cidade. Segundo a assessoria do Palácio do Planalto, o ministro Onyx Lorenzoni, da Casa Civil, vai substituí-lo no evento. Os assessores negam que o cancelamento tenha ocorrido por causa da extração do dente.

Comissão Especial da Câmara dos Deputados aprova texto da Reforma da Previdência

Foto: Luis Macedo A comissão especial da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados aprovou, na madrugada deste sábado (13), por 35 votos favoráveis e 12 contrários, o texto da Proposta de Emenda Constitucional (PEC 6/19) que será votado, em segundo turno, pelo plenário da Casa. Etapa formal da tramitação, parlamentares levaram quase quatro horas após o encerramento das discussões da matéria pelo plenário para conseguir concluir a votação. A sessão foi marcada por críticas de parlamentares de partidos da oposição à matéria e tentativa de obstrução da sessão para adiar ou inviabilizar a conclusão da tramitação da PEC. Com a aprovação, a comissão referendou a redação do texto elaborado pelo relator da matéria, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP). Na próxima etapa de tramitação, a votação em segundo turno, os parlamentares não podem mais fazer mudanças no texto. Pelo regimento, os deputados poderão apenas retirar trechos, as chamadas “em

Votação da Reforma da Previdência em segundo turno fica para agosto

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom A votação em plenário do segundo turno da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados ficará para 6 de agosto, confirmou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Em entrevista após a conclusão das votações, ele explicou que a decisão foi tomada por preocupações de que o quórum baixo comprometa o texto aprovado nesta sexta-feira (12) em primeiro turno. “Não era real acabar neste sábado (13) pelo quórum com que acabou a sessão de desta sexta”, disse. “Essa é uma construção multipartidária e foi isso que se construiu”, acrescentou. O secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, disse acreditar que a reforma seja aprovada pelo Senado em setembro. Se os senadores reincluírem os estados e municípios à reforma, Marinho defendeu que o tema tramite numa proposta de emenda à Constituição em separado para não impactar os prazos. O adiamento do

INSS inicia pente-fino em benefícios com suspeitas de irregularidade

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começou a revisão de benefícios que apresentaram indícios de irregularidades  A meta é analisar cerca de três milhões de pagamentos suspeitos pelos próximos 18 meses. As regras foram publicadas nesta última sexta-feira (12) no Diário Oficial da União (DOU). A força-tarefa montada pelo órgão também vai permitir que pedidos de benefícios que estão pendentes de análise a mais de 45 dias possam ser avaliados. Segundo INSS, nas próximas semanas, os segurados que tiverem algum tipo de inconsistência receberão uma notificação por meio de seus bancos. Uma carta também poderá ser enviada à residência do segurado, caso seja necessário efetivar o contato. No primeiro semestre, antes do início da revisão, 806 mil notificações foram enviadas para que os segurados esclareçam inconsistências encontradas no pagamento dos benefícios. A revisão é fruto da 

Prefeita Raquel Lyra viaja aos EUA para fazer curso sobre gestão pública

Foto: Arnaldo Felix)

A prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, viajará neste fim de semana para os Estados Unidos para participar de um curso sobre gestão pública. Ela também estará acompanhada de um seleto grupo de gestores brasileiros. Realizada em Washington, a capacitação tem como objetivo ampliar as possibilidades de soluções na construção de políticas públicas.

O curso é realizado e custeado pela Comunitas e a Academia de Liderança para o Desenvolvimento (LAD). Em 2018, Raquel participou de uma capacitação organizada pela mesma instituição, em uma das mais renomadas universidades do mundo, a Universidade de Columbia, em Nova Iorque (EUA).

As aulas acontecerão entre os dias 15 e 19 de julho de 2019. Durante a via

Ex-delegado de Caruaru, Marivan Bezerra, morre aos 60 anos

Faleceu em Recife na madrugada desta sexta-feira, 12, o ex-delegado de Caruaru, Marivan Bezerra, aos 60 anos. Marivan também ficou conhecido por disputar inúmeras vezes eleições para vereador em Caruaru, sem obter êxito nos pleitos. O velório e sepultamento acontecerão na capital pernambucana.

Artigo: A quem interessa aumentar a desigualdade?

O Brasil discute uma reforma da previdência que tende a aumentar desigualdades, embora sua propaganda aluda ao combate de privilégios. O país também se prepara para debater uma reforma tributária de modo independente da previdência. Se a redução das desigualdades fosse finalidade das reformas, as mudanças na previdência deveriam ser outras. Em ambas as reformas deveriam ser debatidas conjuntamente. A reforma da previdência proposta aumenta muito a desigualdade de acesso à aposentadoria. Muitos brasileiros pobres começam a trabalhar muito cedo, mas não conseguem contribuir pelos 20 anos exigidos para obter a aposentadoria parcial, para não falar dos 40 anos para a aposentadoria integral. Nas regras atuais, a primeira alternativa para aposentadoria é somar um tempo mínimo de contribuição (30 anos para mulheres e 35 para homens) com sua idade para alcançar um período de 86 anos para mulheres e 96 para homens, que aumentará a

Governador nomeia Carlos Neves como novo conselheiro do TCE

O governador Paulo Câmara nomeou, nesta última quinta-feira, 11, o advogado Carlos Neves para o cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE). O nome do, agora, novo conselheiro do órgão estadual foi submetido na manhã de hoje à votação em sessão extraordinária na Assembleia Legislativa de Pernambuco, e aprovado por unanimidade. Carlos Neves tomará posse nesta sexta-feira, na vaga antes ocupada pelo conselheiro João Henrique Carneiro Campos, falecido no último dia 22 de junho. A nomeação ocorreu em uma solenidade fechada, no gabinete do governador, da qual participaram os presidentes da Assembleia e do TCE-PE, Eriberto Medeiros e Marcos Loreto, respectivamente, o secretário de Planejamento e Gestão Alexandre Rebêlo e vários deputados estaduais. “Com sua trajetória profissional e de vida, Carlos Neves terá muito a contribuir para a gestão pública, para a orientação aos municípios e para trabalhar em parceria com as instituições", afirmou

Câmara aprova emenda que favorece aposentadoria para mulheres e pensão para viúvas

Do G1 O plenário da Câmara aprovou nesta quinta-feira (11), durante sessão para votação dos destaques ao texto da reforma da Previdência, uma emenda que altera a regra para cálculo do valor da aposentadoria de mulheres e favorece viúvas que recebem pensões. A emenda recebeu 344 votos favoráveis e 132 contrários – houve 15 abstenções. A emenda trata do acréscimo no valor do benefício de mulheres que, no momento da aposentadoria, tiverem mais tempo de contribuição que o mínimo exigido. O texto-base aprovado nesta quarta-feira (9) prevê que, para requerer aposentadoria, as mulheres precisam: ter pelo menos 62 anos de idade; 15 anos de contribuição para a Previdência. Nessas condições, conforme o texto-base, o valor do benefício seria: equivalente a 60% da média dos salários adotados como base para contribuições; e haveria um acréscimo de 2% para cada ano a mais de contribuição que excedesse o mínimo de 20 anos. Ou

Governo só divulgará impacto da Reforma da Previdência após segundo turno

O Ministério da Economia só divulgará a economia final da reforma da Previdência após a aprovação do texto final em segundo turno na Câmara dos Deputados. Em nota enviada na noite desta quinta-feira (11), a pasta informou que o processo de votação dos destaques torna impossível a divulgação precisa de qualquer estimativa. “Como uma medida pode influenciar no impacto de outras, estimativas sem o texto final não são fidedignas”, explicou a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho. O texto-base do relator aprovado pela comissão especial da Câmara dos Deputados previa economia de R$ 987,5 bilhões em dez anos. A economia seria de R$ 1,072 trilhão, mas foi desidratada depois que os deputados derrubaram, na comissão especial, o fim da isenção de contribuições previdenciár